terça-feira, 17 de julho de 2018

Governo antecipa primeira parcela do 13º de aposentados e pensionistas


Aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) 
receberão a primeira parte do 13º salário junto com a remuneração de agosto.
 A primeira parcela do abono anual corresponderá a até 50% do valor do benefício.
O decreto autorizando a antecipação foi assinado nesta segunda-feira (16/07) pelo
 presidente Michel Temer, mas ainda não foi publicado no Diário Oficial da União
A medida deve injetar R$ 21 bilhões na economia do país e movimentar o comércio 
e outros setores.
Como determina a legislação, não haverá desconto de Imposto de Renda 
na primeira parcela paga a aposentados e pensionistas do INSS. O imposto 
sobre o valor somente pode ser cobrado na segunda parcela da gratificação
 natalina, a ser paga junto com a remuneração de novembro.
Desde 2006, o governo antecipa a primeira parcela do 13º salário dos 
aposentados e pensionistas na folha de agosto.
Somente em 2015, o pagamento foi adiado para setembro, por causa do ritmo
 fraco da economia e da queda da arrecadação.
Fonte: ABr

quarta-feira, 11 de julho de 2018

Ivan Machado toma posse de mandato na Câmara de Vereadores de Campos


Ele é o sexto suplente da coligação PR/PTB/PSD e substitui Thiago Ferrugem (PR), afastado por compra de votos
FacebookTwitterMais...
(Foto: Divulgação/Câmara de Vereadores de Campos)
Tomou posse na manhã desta quarta-feira (11) o suplente de vereador Ivan Machado (PTB). A cerimônia aconteceu no gabinete da presidência da Câmara de Vereadores de Campos. O presidente da Casa, vereador Marcão Gomes (PR), afirmou, em uma postagem em seu perfil em uma rede social, que mantém “portas abertas” para o recém-chegado.
“Desejo que Dr. Ivan possa cumprir sua missão com muita sabedoria e seja a voz da nossa população”, escreveu.
Machado assume a vaga do vereador Thiago Ferrugem (PR), afastado após esgotar seus recursos no Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Rio de Janeiro (TRE-RJ).
Ferrugem é acusado de participar de um esquema que trocava votos por inscrições irregulares no Cheque Cidadão durante as eleições municipais de 2016. Criado pela então prefeita de Campos Rosinha Garotinho (Patri), o programa social teria sido usado na tentativa de eleger e reeleger membros de seu grupo político ao Legislativo e ao Executivo, segundo investigações da Polícia Federal (PF) e do Ministério Público (MP).
Sexto suplente da coligação PR/PTB/PSD, Ivan Machado recebeu 782 votos na última eleição.

Terceira Via

terça-feira, 10 de julho de 2018

Chequinho: Câmara convoca Ivan Machado para o lugar de Ferrugem



Dr. Ivan Machado foi o sexto suplente na coligação PR/PTB/PSD / Reprodução/Facebook

O “time da Chequinho” não tem mais representantes na Câmara de Campos. Como a Folha da Manhã abordou em matéria (aqui) publicada no último domingo (8), a saída de Thiago Ferrugem (PR), que já havia sido notificada em Diário Oficial, agora está formalizada. Ele é o último dos eleitos em 2016 e condenado no “escandaloso esquema” a deixar o Legislativo. Entre “titulares” e “reservas” passaram pela Casa 15 réus na Chequinho. Sexto suplente na coligação PR/PTB/PSD, Dr. Ivan Machado (PTB), que obteve 782 votos, foi convocado nesta terça-feira (10), pelo presidente do Legislativo, Marcão Gomes, para assumir a vaga de vereador no lugar de Ferrugem.

Além de Ferrugem, foram declarados eleitos em outubro de 2016 e integraram o time da Chequinho: Cecília Ribeiro Gomes (PT do B), Jorge Magal (SD), Jorge Rangel (PTB), Kellinho (Pros), Linda Mara (PTC), Miguelito (PSL), Ozéias (PSDB), Roberto Pinto (PTC), Thiago Virgílio (PTC) e Vinícius Madureira (PRP). Todos foram condenados em primeira instância e tiveram os mandatos cassados pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Agora, recorrem ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Por ora, todos estão com os direitos políticos cassados por oito anos, a contar de 2016.

Folha da Manhã

Campos: R$ 22 milhões a menos




O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ/RJ) determinou o bloqueio de R$ 22 milhões na conta da Prefeitura de Campos, referente ao Fundo de Participação dos Municípios (FPM). O valor corresponde a parte da dívida dos precatórios judiciais devidos pelo Município, em 2016 e anos anteriores, que totaliza R$ 68 milhões. Na edição de 24 de junho, a Folha da Manhã mostrou que havia esta possibilidade.
A decisão é mais um baque na crise financeira enfrentada pela administração municipal. Além do bloqueio de R$ 22 milhões, mensalmente a Prefeitura tem que desembolsar R$ 1,5 milhão em pagamento desta mesma dívida até o ano de 2020. Por ano, são mais R$ 18 milhões a serem pagos em parcelamento de precatórios.
De acordo com o procurador geral do Município, José Paes Neto, com a decisão, todo o planejamento de gestão terá que ser revisto.
— Desde o início do ano passado, diante do cenário que encontramos, estamos trabalhando com planejamento a curto prazo. E, agora, com mais esta decisão, teremos que novamente fazer revisão. Com certeza isso vai impactar nos atendimentos básicos e na retomada de obras. Mais uma vez, o passado assombra o presente e o futuro do Município — destaca.
Ainda de acordo com o procurador, a situação pode se agravar ainda mais, caso o repasse do FPM não totalize os R$ 22 milhões e haja decisão para bloqueio de outras receitas. “Aí poderá haver bloqueio de repasse de royalties do petróleo, participação especial e até ICMS”, frisa.
Precatórios são requisições expedidas pelo Poder Judiciário para cobrar o pagamento de valores devidos após condenações judiciais definitivas. Os R$ 68 milhões devidos por Campos se referem, principalmente, a questões trabalhistas — processos movidos por servidores públicos — e contestações sobre valores de desapropriações de imóveis ocorridas em administrações passadas.
— Esta dívida se acumulou porque os valores devidos não foram pagos regularmente pelas gestões anteriores. Somente em 2016, o valor foi de R$ 11 milhões e pagos apenas R$ 2 milhões. Quando o prefeito Rafael Diniz assumiu a Prefeitura, em janeiro de 2017, o valor dos precatórios já ultrapassava R$ 60 milhões. A Prefeitura vinha negociando com o Tribunal uma maneira de parcelar esta dívida em mais vezes, levando em conta a dificuldade financeira do município, mas esta negociação não teve êxito. E agora a situação se agravou — observa.
Além disso, a Prefeitura já pagou cerca de R$ 90 milhões relativos a empréstimo junto à Caixa Econômica em 2016, que comprometeu R$ 1,3 bilhão da arrecadação municipal – a chamada “Venda do Futuro”. A atual gestão também paga todo mês R$ 4 milhões ao Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Campos (PreviCampos), fruto da negociação por dívida de R$ 180 milhões deixada pelo governo passado. (S.M.) (A.N.)

Folha da Manhã

segunda-feira, 9 de julho de 2018

Feira do Peixe nos bairros começa pelo IPS na próxima sexta e sábado

Dez bancas trarão peixes, crustáceos e temperos vendidos 

exclusivamente por pescadores campistas


(Foto: SupCom Campos)


A Feira do Peixe, que traz pescados frescos à população tradicionalmente na Semana Santa, terá edições mensais destacadas em diversos bairros da cidade. O cronograma foi divulgado pela superintendência de Pesca e Aquicultura de Campos, e a estreia da edição mensal será no IPS nos próximos dias 13 e 14 de julho, de 7h ao meio-dia.
Dez bancas trarão peixes, crustáceos e temperos vendidos exclusivamente por pescadores campistas de Lagoa de Cima, Ponta Grossa, Farol de São Thomé, Lagoa do Campelo, entre outros locais, direto ao consumidor.
— Nosso objetivo é fomentar a economia sustentável, de forma que o pescador possa levar seu produto direto ao comprador e a população possa adquirir a preços justos pescados frescos tradicionais de Campos, de qualidade e diretamente do pescador — reforçou o superintendente da pasta, José Roberto Pessanha.
Entre as principais espécies que poderão ser encontradas nesta primeira edição no IPS estarão tilápia, traíra, camarão e corvina. Das dez bancas montadas, 9 trarão pescados e uma trará temperos e hortaliças.
— A cada edição, os pescadores participantes serão diferentes, para que o maior número possível de pessoas possa participar. Será uma versão menor da Feira do Peixe tradicional da Semana Santa, quando a demanda é maior, mas a qualidade será a mesma — explicou José Roberto.
Participam da organização a superintendência de Entretenimento e Lazer, o departamento de Transporte da Prefeitura, as superintendências de Postura e Iluminação Pública e a Guarda Civil Municipal.
Feira do Peixe — A tradicional Feira do Peixe da Semana Santa chegou a sua 12ª edição neste ano, quando em três dias foram comercializadas 10 toneladas de peixe em 23 bancas.

Alergia ao Leite x Intolerância




Leite
Leite / google search ruralpecuaria
Um tema controverso na seara da Nutrição e que envolve vários equívocos é a alergia às proteínas do leite e a intolerância à lactose. 
Antes de mais nada, é necessário que diferenciemos os dois quadros:
_A alergia às proteínas do leite (quase sempre a apenas uma delas) é um quadro tipicamente imunológico, onde o sistema imune de um indivíduo reage de forma equivocada à ingestão de leite, comumente bovino.
O leite apresenta como principais proteínas a lactoalbumina, lactoferrina, lactoglobulina e a caseína. Uma pessoa alérgica responde a uma delas como a qualquer outro alimento que cause alergia (alergênico), ou seja com reações que vão desde de dermatites a quadros respiratórios, podendo ocorrer diarréias e distensão abdominal.
A intolerância à lactose é um distúrbio digestório, onde um indivíduo produz pouca ou nenhuma enzima lactase, que deveria digerir a lactose. Esta é um açúcar presente no leite. Quando consumida e não digerida atrai água para os intestinos, provoca formação de gases (flatulência), cólicas notáveis e na grande maioria dos casos diarréia aguda. Para esses casos os produtos sem lactose são hoje abundantes e, resolvem a questão. Além da oferta em farmácias de enzima lactase para ingestão.
Os alérgicos às proteínas do leite devem sim evitar o seu consumo, mesmo que em pequenas quantidades, devendo se manter atentos aos rótulos do alimentos. 
Não pretendo entrar na questão de defesa ou condenação do consumo de leite bovino, mas poucas fontes de cálcio similares aos laticínios (exceto manteiga) são disponíveis para consumo regular (não adianta se fartar de couve em um dia e passar cinco sem consumi-la).
E convenhamos, o argumento de que o homem é o único mamífero que ingere leite após o desmame é um sofisma dos bons...afinal somos os únicos que ordenhamos, dentre outras exclusividades da espécie humana...

Dr. Léo  Folha da Manhã

terça-feira, 3 de julho de 2018

Eike Batista é condenado a 30 anos de prisão na Lava Jato do Rio



No mesmo processo Cabral foi condenado a 22 anos e oito meses
 Fábio Motta/Ae (2008)

No mesmo processo, Cabral foi condenado a 22 anos e oito meses

O empresário Eike Batista foi condenado, pela primeira vez na Lava Jato do Rio, a 30 anos de prisão. A decisão consta na sentença da Operação Eficiência, assinada pelo juiz Marcelo Bretas na última segunda-feira (02/07). O advogado do empresário, Fernando Martins, informou que vai recorrer.

Em abril, Eike seguiu para prisão domiciliar após decisão do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF). De acordo com a condenação desta segunda-feira, o passaporte de Eike deve continuar retido e ele, que está em prisão domiciliar, segue impedido de deixar o Brasil.

No mesmo processo, o ex-governador Sérgio Cabral foi condenado a 22 anos e oito meses. Também foram condenados a ex-primeira dama Adriana Ancelmo, o ex-secretário Wilson Carlos, o ex-braço direito de Cabral, Carlos Miranda, e o braço-direito de Eike, Flavio Godinho.

Operação Eficiência

A investigação diz que Sérgio Cabral recebeu US$ 16,5 milhões de Eike num contrato falso de intermediação da compra de uma mina de ouro. Segundo o Ministério Público Federal, o empresário pagou o valor para obter facilidades em contratos no estado do RJ na gestão Cabral.
A investigação sobre ele começou depois de um repasse suspeito de R$ 1 milhão de uma de suas empresas ao escritório de advocacia da mulher de Cabral. Eike já foi considerado o oitavo homem mais rico em lista da revista Forbes, com sua fortuna de R$ 34 bilhões.

Condenações:

Eike Batista - 30 anos - corrupção e lavagem de dinheiro
Sérgio Cabral - 22 anos e 8 meses - corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas

Adriana Ancelmo - 4 anos e 6 meses - corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Carlos Miranda - 8 anos e 6 meses (substituídos por ter assinado delação premiada) - corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Wilson Carlos - 9 anos e 10 meses - corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Flávio Godinho - 22 anos - corrupção ativa e lavagem de dinheiro

Fonte: G1